Por um pouco de simplicidade

06 dezembro Lila Martins 10 Comentarios

Oi gente, amo pegar imagens e escrever o que elas me inspiram, e hoje escolhi essa imagem das flores que está bem no meio do post para desenvolver esse texto. 
Como é bom estar de volta escrevendo o que gosto e me inspirando novamente... Não esqueçam de deixar seus comentários para que eu possa saber o que acharam. Desde já obrigada pela sua visita! 



Queria eu que o mundo fosse um lugar melhor, sem tanta dor e sofrimento, mesquinharias e falta de amor.

Com uma dose de simplicidade as coisas poderiam tomar um rumo melhor, quem sabe assim prevalecesse a beleza verdadeira, ao invés das máscaras que estamos habituados a ver.

Abraços seriam fonte de energias renovadas, não haveria essa falsidade mascarando as relações e o amor seria puro e limpo, possibilitando que todos o pudessem viver plenamente.

Como o mundo seria muito melhor com um pouco menos, estamos habituados a grandeza e pequenez  nos é estranha e monótona. 

Buscamos muitas vezes o fútil, o irreal e perdemos a vida toda em busca de um sonho plantado, uma mentira velada que todos sabemos ser irreal, mas mesmo assim não paramos de acreditar nela, com medo de sermos abandonados num canto qualquer desprovidos da popularidade comum das pessoas felizes.

Escondemos nossos sentimentos, mascaramos as coisas e fingimos dia após dia que o mundo é um bom lugar para se viver, mas no fundo não vivemos, sobrevivemos, a cada uma das provações e imposições que nos são colocadas.

Todos os dias somos bombardeados, todos nos dizem quem somos e o que devemos fazer, até o ponto em que nos olhamos no espelho e sentimos que não mais conhecemos a pessoa refletida ali, o corte de cabelo, a maquiagem, as roupas, nada é de verdade, tudo é um embuste social, uma ilusão e dia após dia vivemos dessa ilusão, nos alimentamos dela, nos envenenamos e saímos pelas ruas transmitindo o veneno para todos.



Não é errado dizer que somos farsas, mesmo em nossos íntimos somos um eco da nossa essência, por tantas vezes cortamos nossas próprias asas, que hoje desacreditamos totalmente que podemos voar.

Mentimos sobre tudo e o tempo todo, desde o "bom dia no trabalho", do "está tudo bem" para os amigos, ou o "não é nada" quando choramos, tudo isso somos nós mentindo para o mundo, mentindo para nós mesmos e fingindo.

Nesse mundo somos atores, fantoches, os grandiosos dominam, ditam e escolhem tudo e na simplicidade, que era onde deveria morar a nossa liberdade, o nosso poder de escolha e a nossa força de vontade não há nada, foi dominado, humilhado, ensinado infinitas vezes que era errado e assim ficou.

Poucos acordam do sono, do medo velado de assumir quem é, da responsabilidade de remar contra a maré, de buscar seu lugar, de conquistar, não o mundo, mas o seu espaço nele. 

A liberdade é bem de poucos, enquanto o medo é o bem de quase todos, está errado, muita gente vê, mas ainda muito há para ser mudado.

Abrace a si mesmo, aprenda a amar quem é, seguir seu próprio rumo, faça-se de surdo se preciso for, não admita ditames nem reprimendas por assumir sua personalidade e viver de bem com ela, não aceite que ninguém te diga o que fazer ou como deve ser, seja aquilo que quiser, ouse!

Talvez no início seja difícil, complicado e penoso, mas assim como por anos o mundo te repreendeu, por anos é você que deve repreendê-lo, não como uma vingança, mas como um exercício para aprender a soltar sua voz e dizer as palavras que achar convenientes. 

Se jogue de cabeça, não tema errar, faz parte de aprender tombar algumas vezes, apenas aceite como um rito de passagem e siga em frente.

Seja você... Por um pouco mais de simplicidade nesse mundo, por favor.




10 comentários:

  1. A vida é um Game of Thrones... precisa se adequar para "ser você mesmo" e ainda sobreviver à selva da vida em sociedade. A diferença é que se guerreira pelo trono da sobrevivência

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu costumo usar a analogia que a vida é como um jogo de xadrez, mas eu adorei a sua comparação. "No jogo dos tronos, ou você ganha ou morre"

      Excluir
  2. Uau! Disse tudo e disse bem.
    É complicado mas não podemos desistir de tentar e sermos nós mesmos.
    Muitas vezes nos "re"descobrir já é bem difícil mas um exercício que não podemos deixar de fazer.
    Adorei teu texto.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Tais! =D Realmente, é um desafio, mas temos que ir pisando com cautela...

      Excluir
  3. Você é uma linda e uma pessoa que tenha agradecido por conhecer sabia? Adorei seu texto, vc disse tantas verdades... a gente vai se 'podando' por conta dos outros mas, quem gosta da gente de vdd, gosta com td oq somos, defeitos e qualidades e todos os estilos e cores =) Acho que aprender a sermos quem realmente somos tem sido o exercício diários, mas válido demais. O dia que precisar, estarei aqui viu? pq já te considero uma amiga mt querida ^^ beijos linda e, ng pode apagar a luz que vc tem e, o principal, vc ilumina as pessoas por onde passa =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh Bruna sua linda! Obrigada!!!!! Que comentário gostosinho de ler *-* Emocionei aqui, tb amei te conhecer! Vc tb é uma pessoa maravilhosa! =D <3

      Excluir
  4. Amei! Também escrevo em minhas horas vagas, e achei um texto reflexivo mesmo. Quantas coisas nessa vida, não é? Quantos caminhos? O fato de não sermos nós mesmos. De querermos ser o que não somos. Lembro-me de uma frase que certa vez, alguém que passou por minha vida e já se foi disse: "somos o que somos, sem dizer o que somos; seremos o que somos, sem mudar o que somos."

    Até mais!
    Karolini
    womenrocker.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima frase Karolini! É a pura verdade! Muito obrigada pela sua visita! =D

      Excluir
  5. Guria, que texto lindo! Eu andava demais precisando ler algo assim e juro que me surgiram umas lágrimas enquanto lia (sou sentimental demais haha). Mas é que tem tanta verdade nele e eu me identifiquei tanto. Nós mentimos não apenas para os outros, mas para nós mesmos. Eu mesma precisei me inventar e reinventar tantas vezes para me adequar a diferentes situações que acabei me perdendo no caminho. E passei exatamente por essa situação que você descreveu, pensando: "quem é essa pessoa no espelho?". Eu tentei mudar a minha personalidade tantas vezes, até que ontem, em um festa, um guri disse: "Você é muito diferente. Não se importa de ir em festas conhecendo praticamente ninguém. Não se importa de ficar sozinha. É um pouco tímida. Não tem palavra pra te descrever". Só que isso não foi um elogio ahha Eu percebi a reprovação na voz dele, mas quer saber? É isso o que eu sou mesmo, eu sou reservada, tímida, fico bem na minha própria companhia e não me importo de sair conhecendo quase ninguém. A questão é que esse meu jeito sempre foi visto como defeito por grande parte das pessoas, que eu tentei muito tentar ser o contrário. E foi preciso anos até eu perceber que para mim está tudo bem ser assim. Tudo bem ser mais reservada, enquanto todas as outras gurias nas festas parecem disputar por querer atenção. Aliás, isso me irrita demais. Parece que tudo vira competição, desde o tamanho do cabelo, até a roupa, a quantidade guris que fica, os amigos,... Eu posso contar na mão os amigos e os guris que já fiquei. Eu não me importo de ficar na minha própria companhia. E o meu jeito reservado nunca me impediu de nada, além de ser mais seletiva com quem tenho por perto. E levei uns bons anos para perceber que essa é quem eu sou, e não tem problema ser assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Eu fico tão, mas tão feliz de saber que o texto te tocou tanto Kimberly, nossa quando eu escrevo é pra isso, para que as pessoas se identifiquem, para tocar o coração de quem lê e me dá uma alegria tão grande saber disso! Que bom que você se encontrou, eu levei 25 anos pra chegar lá, na verdade ainda é um processo diário porque as vezes a gente ainda tem que vestir a máscara, mas o importante e não perder a identidade no processo que volte e meia parece até meio impossível! Obrigada pelo comentário alegrou meu dia =D Beijos!

      Excluir