Conto de Natal - Monique e Victor - BEFA #10

10 dezembro Lila Martins 2 Comentarios

Conto de Natal - Monique e Victor - BEFA #10

- Feliz Natal Mo! - Victor disse assim que o relógio bateu meia noite.
- Feliz Natal Vi! - Respondi com um sorriso.
Era mais um natal no mundo dos humanos, eu sempre fazia questão de atravessar o véu para ver as luzes coloridas, os coros cantado as tipicas músicas de natal e toda aquela aura mágica. 
Sempre achei incrível o modo como as pessoas celebram o natal, sem saber que muito próximo fica o meu reino, o lugar que governo lá a magia é natural, quando atravesso o véu para Monter meus poderes se fortalecem, gostaria de ter meus amigos aqui, Dermont seria o mais estranho, enorme e bruto como é, provavelmente iria achar o clima de natal enjoativo enquanto a doce Misiel iria se apaixonar por toda essa cantoria.
- Não vai abrir o presente? - Victor perguntou, me tirando dos pensamentos.
- Oh! Claro! Estou curiosa. - ele me entregou uma caixa grande e pesada, eu rasguei o papel cheio de renas e me deparei com um verdadeiro sonho. Era um grimório, a capa era de couro azul marinho e tinha inscrições rúnicas, parecia um tipo de élfico, mas as inscrições eram um pouco diferentes das que eu conhecia, teria um pouco de trabalho para traduzir. Eu fiquei curiosa, onde Victor tinha conseguido aquele grimório!
- Vejo que notou do que se trata. - Ele disse sorrindo.
- Sim, mas onde conseguiu? - perguntei.
- Com um contrabandista de artefatos mágicos.
- Comprou no mercado negro?
- Não! - Ele deu uma gargalhada. - Monique! Eu sou seu irmão há mais de 200 anos e você ainda acredita nas minhas bobagens? - riu ainda mais - Eu consegui com um mercador de antiguidades de Monter, ele tem vários livros interessantes, fiquei em dúvida se preferiria um grimório de magia élfica que remonta a antes do governo de Kendral, quando cada clã do nosso reino era livre e não existia o portal para o outro lado do véu ou se gostaria mais de um livro de poções de Fileus um dos primeiros celestiais do nosso mundo.
- Difícil escolha mesmo, eu não saberia qual teria gostado mais. - disse. Na mesma hora me lembrei de uma coisa. - Esse livro é o grimório de Gordenild? 
- Por isso o escolhi, é infinitas vezes mais inestimável. - Ele estava contente de eu ter reconhecido o tomo. Há muito eu esperava encontrar esse grimório, ele possuía magias antigas, diferentes das que aprendi, era um tomo especial, um dos elfos mais antigos o havia escrito há milênios. Queria começar a estudá-lo logo para absorver ao máximo o que aquele livro poderia me ensinar.
- Obrigada Victor... - disse, o abracei forte e lhe dei um beijo no rosto. - Eu amo você! É o melhor irmão do mundo!
- Eu sei! - Arrogante desgraçado, estava com seu sorrisinho presunçoso de sempre.
- Retiro o que disse, odeio você! Nem vou te dar presente. - Fiz uma expressão grave e ele caiu na risada. 
- É assim que me agradece? - ele disse.
- Ok, aqui está seu presente. - entreguei a caixa a ele, era longa, estreita e bastante pesada, ele abriu e encontrou uma caixa de madeira entalhada em escrita abissal, o queixo dele caiu quando levantou a tampa e se deparou com uma espada maravilhosamente forjada com o melhor aço das minas de Monter.
- É uma espada de abissal... - ele sussurrou.
- É sim, foi forjada pelo ferreiro do submundo, ela se chama coração da tempestade, quando empunhada ela sente o coração de seu dono e eleva seu poder de luta para proteger quem ama, é um presente de grego na verdade, eu tinha interesse pessoal nela, mas... tem um diferencial. - Eu parei propositalmente para que ele pudesse perguntar qual era, e quando o fez eu respondi. - Ela foi forjada especialmente para você, Dermont a encomendou com o ferreiro e no aço da forja tem o meu próprio sangue. - o queixo dele caiu ainda mais. No nosso mundo, a personalização das coisas é feita com sangue, nossas linhagens e clãs juram sua lealdade em pactos de sangue, foi assim que meu irmão mais velho se tornou meu protetor, no meu aniversário que 15 anos quando descobri quem era e o meu destino, fizemos um pacto de sangue e desde então eu e Victor somos intimamente ligados, na nossa cultura, as espadas dos guerreiros costumam conter o sangue de seus entes queridos, geralmente a pessoa que mais amam, Victor tem uma espada boa, e ela sempre esteve ali para me proteger, mas esta com meu sangue eleva o poder da nossa ligação, é como se a espada fosse uma extensão do braço dele, e com o sangue que está nela, é como se ela fosse uma extensão do meu também, em outras palavras, é uma arma que cria intimidade com o guerreiro e seu protegido, é como se a espada tivesse vida.
- Eu não sei como agradecer... - Ele raramente ficava emotivo, geralmente ou era brincalhão ou era firme, mas sua voz estava embargada. 
- Você merece, muito mais que isso, sabe que eu daria minha vida igualmente por você, mesmo sabendo que você jamais permitiria tal coisa. - disse com carinho.
- Tem razão - ele riu.
- É o melhor protetor que uma rainha pode ter Victor, além é claro de ser o melhor irmão do mundo.
Nos abraçamos novamente, ele estava abalado e eu estava feliz, amava o natal por isso, sempre trocávamos presentes importantes, sentados na sala de casa, em um mundo que não fazia a menor ideia de quem eramos, ali naquela sala eu era Monique Derrent, uma jovem garota comemorando o natal com seu irmão, ali eu era a Mo indefesa que tinha pesadelos a noite e ele era só o meu irmão mais velho me fazendo sentir segura, ali não havia Monter com todos os seus clãs, não havia batalhas, nem magia, eu amava aquele mundo que eu costumava chamar de "zona neutra". 
Era noite de natal, as pessoas estavam felizes, as crianças esperavam o Papai Noel trazer os presentes e eu e Victor ficamos horas apreciando nossos presentes como duas crianças, nossos pais ficariam felizes em nos ver tão animados.
- Feliz natal - Ele disse pra mim.
- Feliz natal - Eu respondi e aquela noite foi a mais especial de todas...

NOTA: Este conto é um Spin off do meu livro, que conta justamente a saga de Monique, rainha herdeira de Monter e seu irmão e protetor Victor. 


Conto de Natal - Monique e Victor - BEFA #10

Se quiser participar do BEFA também, basta entrar nos grupos Café com Blog e
 Interative-se, e este é o nosso Calendário:
Conto de Natal - Monique e Victor - BEFA #10


Conto de Natal - Monique e Victor - BEFA #10


2 comentários:

  1. Eu tô passada! Lila, quando sai esse danado desse livro! Cada coisa que você me conta me deixa mais curiosa e esse spin off me deixou curiosíssima, no mínimo!!! ahaha Ah, e adorei o conto também! Já gostei da Monique e do Victor! Já quero ler mais sobre eles!!! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro tá no comecinho, ela acabou de descobrir o seu lugar e começou o treinamento, ainda faltam 200 anos de treino pra colocar no papel =D Quando estiver pronto te mostro!

      Excluir