Desafio fotográfico

22 novembro Lila Martins 0 Comentarios



Oi gente, hoje eu quero simplesmente desabafar com você uma das piores fases que eu vivi.

Eu estive por algum tempo afastada do blog e agora que retornei eu pedi para uma amiga me passar uma imagem para um desafio fotográfico. 

A ideia era escrever algo sobre a imagem e exercitar minha criatividade, na hora que eu vi essa imagem eu pensei em um monte de coisas legais pra escrever, mas nesse momento que sentei aqui para escrever ela me lembra apenas uma coisa muito triste...

O pequeno Leão
Na última quinta o meu pequeno Leão, meu cachorrinho lindo e bagunceiro parou de comer... Ele estava vomitado e começou a ter diarreia, demos soro a ele e o incentivamos a comer, na sexta ele estava comendo pouquinho e bebendo água, mas estava quietinho e triste, no sábado ele começou a vomitar mais e ter mais diarreia, e eu entrei em contato com a veterinária para ela me instruir e ela me deu várias recomendações que eu segui a risca.


Aos poucos eu vi meu cãozinho definhar, ele foi ficando fraquinho, magrinho e por fim levantar  a cabecinha virou sua maior batalha... Naquela madrugada ele caiu a cabecinha, amoleceu e desistiu de lutar, eu e meu marido desolados o acarinhamos e dissemos a ele que estava livre pra ir se não estivesse aguentando mais, ele segurou as pontas por pouco mais de uma hora e quando eu sai pra ir ao banheiro ele se foi, ele não queria eu o visse partir, até nessa hora ele pensou em mim, meu serzinho maravilhoso...

O pesadelo acabou, as 6 horas da manhã eu consegui tirar um cochilo, no domingo eu vegetei, todo cantinho da casa tinha uma lembrança e viver este domingo foi uma das coisas mais difíceis pra mim.

A pequena Arya
Eu não entendia, não consigo mesmo entender como tudo aconteceu, por que ele, por que o meu meninão, o meu Leãozinho tão feliz, brincalhão e amoroso tinha que partir daquele jeito tão doloroso? Não achei justo, e acho que nunca vou achar.

Mas eu estava enganada em achar que a pior parte aconteceu, a pequena Arya, irmãzinha dele começou a ter os mesmos sintomas, muito mais rápido começamos a tratar, não tínhamos certeza se era a mesma coisa ou se ela estava de luto sentindo falta do maninho.

Esta manhã ela amanheceu do mesmo jeito, fraquinha, apagada, não quer comer, não aceita o soro, está se sujando por não conseguir segurar as necessidades... 

Novamente liguei pra veterinária, ela me disse a última coisa que eu gostaria de ouvir, disse que o que ela poderia me dizer era pra seguir as mesmas recomendações, que ela estava com uma virose que pegou do irmãozinho, que havia uma remota chance dela viver se fosse internada para receber soro na veia e comida por sonda... Em resumo, eu vou perder ela também, não há o que fazer, a internação custa uma fortuna que eu não posso arcar e ela está abatida demais para que isso resolva, ela desistiu já no domingo quando o Leão não estava aqui pra brincar com ela.

Arya bebê
Por isso a imagem é triste, me lembra as minhas estrelinhas que se apagaram ambas em um curto espaço de tempo, meus bebês de olhos grandes, meu menino que comeu todos os meus chinelos, que era medroso e curioso, minha menina que estava sempre no meu colo, sempre pedindo um aconchego pra tirar um cochilo, eles tem só 4 meses... os 4 melhores meses da minha vida, ter essas duas coisinhas maravilhosas pra me alegrar... Ainda vão me restar a Bacon e o Bob os papais dos meus "netinhos", mas cada um tem suas qualidades, cada um é um pedacinho da vida dessa casa e sem o Leão e Arya muita dessa vida termina aqui.

Leão bebê
Eu venho de uma fase absurda de depressão,  e essas perdas me fizeram desabar, eu estou perdendo a vontade de lutar por dias melhores, me sinto vazia, dolorida e cada vez que penso neles meu coração se parte de novo, de novo e de novo é como viver o pesadelo mil vezes, vontade de gritar, de esmurrar as paredes, de nunca mais sentir coisa alguma, parar de sentir saudades, raiva, tristeza, de tentar entender por que meus filhotinhos mereciam isso, saber que nunca vou ver eles grandões correndo pela casa, que o máximo que restará deles são as fotos e os vídeos... 


A dor é avassaladora, tem gente que acha que não é como perder alguém, mas pra mim eles são alguém, são os grandes amores da minha vida, eu os amava, eu fazia de tudo por eles, eu trocaria de lugar se pudesse, ficaria doente no lugar deles se isso os fizesse correr e brincar de novo, mas não posso, sou só uma observadora impotente, vendo as coisas mais amadas da minha vida sendo arrancadas de mim de uma vez só... 
Desculpem o desabafo, mas eu precisava... 

Sempre juntinhos...

Tão lindos os meus pequenininhos... como eles fazem falta...
Não sei quando volto gente, não sei como vai ser amanhã, não sei se vou acordar com vontade de lutar ou desistir, até a próxima.





0 Comentários: