Sonhos especiais

28 março Lila Martins 0 Comentarios


Era um mundo estranho, havia uma floresta tropical, estava quente devido ao sol forte, uma brisa vinha por entre as copas de arvores enormes e ao longe eu podia ouvir o barulho das águas de um rio correndo sobre as pedras, um vulto passou a meu lado, mas me virei e não consegui ver o que era, caminhei um pouco sem entender, não sabia como tinha chegado até aquele lugar.

Sobre uma árvore vi um pássaro que parecia uma fênix e ele olhava para mim atentamente, um barulho forte de passos apressados de aproximava, me desesperei, o pássaro deu um grito que tomei como alerta e disparei correndo para me esconder.

Passando pelo limiar de duas árvores de repente estava em uma geleira, parecia o alto de uma montanha, rochosa coberta de gelo, olhei para traz e a floresta se fora para sempre, mais uma vez não sabia o que estava acontecendo, uma sensação de pavor começou a tomar conta de mim, o que estava acontecendo?

Sentei na beira de uma pedra grande chorei, estava perdida, num mundo que nem sabia onde era, só sabia que ele aparentemente mudava, sem nenhum tipo de padrão ou aviso prévio. De repente um sono começou a me levar para as profundezas, cai no chão em meio a neve adormecida.
Quando abri os olhos estava em casa, na minha cama e um cachorro que eu nunca tinha visto na vida me olhava da janela lá embaixo. Coloquei o roupão por cima do pijama e desci para tomar um café forte, mas a minha casa estava diferente, as paredes estavam azuis e a escada era completamente diferente, senti cheiro de fritura vindo da cozinha e percebi que alguém assobiava uma música antiga como meu pai quando fazia panquecas de manhã, desci, não sei dizer por que, talvez apenas curiosidade.
Era ele em frente ao fogão as roupas sujas de terra e quando se virou para me dar bom dia notei seu rosto cheio de feridas em decomposição, ele sorriu para mim e disse que veio me fazer panquecas porque sabia que eu sentia falta, chorei e ele apenas me disse para acordar e quando fui abraça-lo para matar a saudade a cena virou um borrão e eu acordei, esta na cama de um hospital, estava entubada, com soro conectado no braço esquerdo caindo devagar, uma enfermeira veio até mim com um grande sorriso, me explicou que eu tinha sofrido um acidente.
Aos poucos comecei a respirar novamente, e em duas semanas tive alta, meu pai havia morrido 6 meses antes de eu sofrer o acidente, a floresta era o lugar bonito para onde estava indo quando entrei em coma, a fênix era a vida pela qual eu deveria lutar, a montanha era o desalento que senti quando não conseguia mais voltar a superfície, a casa era um novo começo, estava diferente justamente porque eu estava diferente, meu pai me fez panquecas para comemorar a minha volta e o cão era um novo companheiro, ele estava lá quando cheguei em casa, na porta da minha casa e eu o adotei.
Nunca mais tive sonhos assim, mas eu sei que eles foram reais e que seus significados foram importantes.




Gostou? Assine para receber todas as novidades!

* indicates required

0 Comentários: