Pietra e Lucio I

21 dezembro Lila Martins 0 Comentarios

Pietra tinha 19 anos quando terminou um namoro de 4 anos. Foi uma época difícil, o namoro tinha caído na rotina e o casal não conseguia mais se entender, se tornaram meros amiguinhos a paixão havia esfriado e eles não eram mais nada juntos. Numa tarde como qualquer outra veio o acordo final, cada um pro seu lado sem lágrimas sem ressentimentos tudo isso até a pobre Pietra descobrir 5  meses depois do término que seu ex havia se tornado pai. Dai veio a dor, a coitada foi traída e isso se tornava obvio bastava que qualquer um fizesse as contas. Era o fim, aos 19 anos Pietra não queria mais namorar, não acreditava mais em carinho, palavras bonitas e flores, se focou na sua vida pessoal, emprego, faculdade e nada mais, nem saia muito, estava sempre ocupada com alguma coisa.
Assim foi por muito tempo ela segurou firme a decisão de não ter ninguém e isso a fazia feliz, ou melhor ela fingia para si mesma que era feliz desse jeito, mas não era verdade no auge de seus 23 anos Pietra estava finalmente sentindo como era vazio sem ter alguém, a faculdade estava no fim o trabalho se tornara rotineiro e monótono e ela nunca tinha com que se ocupar nos dias de folga, tinha umas 2 ou 3 amigas com quem saia esporadicamente, mas como todo mundo estavam todas sempre falando de seus namorados. A mais próxima delas estava noiva e Pietra seria sua madrinha de casamento logo após a formatura.
A formatura finalmente havia chegado, era uma festa bem organizada ela estava de azul royal uma cor que caia muito bem em Pietra. A amiga que ia se casar dali um mês estava radiante, sorria para o noivo e ambos trocavam beijos apaixonados, após a valsa dos formandos o telão se acendeu e uma musica romântica contagiou o ambiente, era o noivo de sua amiga lhe prestando uma homenagem, bela música e um vídeo com declarações de amor, flores e muitos beijos, todos aplaudiram, a moça chorava emocionada abraçada pelo seu grande amor e ali Pietra se perdeu, naquele momento ela se sentiu vazia por dentro. Tudo voltou a mente, e ali ela percebeu que ser sozinha não era assim tão maravilhoso, a festa perdeu o sentido, o resto da noite foi vazio, e os dias que se seguiram também.
O casamento da amiga foi lindo, Pietra fez par com um primo da noiva um rapaz alto loiro de olhos claros que fora muito simpático com ela.
Na festa ela apenas dançou a valsa dos padrinhos com seu companheiro e depois sentou-se na mesa solitária enquanto o resto dos convidados bebiam e se divertiam, era o pior lugar para se estar, o salão era formado de casais, e ela ali sozinha.
 - Posso sentar aqui com você? - uma voz masculina perguntou atras de Pietra.
Ela olhou e viu o rapaz que entrara com  ela na igreja sorrindo.
 - Claro. - ela respondeu.
 - Então porque uma moça tão bonita quanto você não se enturma um pouco? Parece tão entediada aqui? Não está gostando da festa?
 - Eu não estou muito no clima de festas hoje.
 - Entendo... Mas... Será que se eu te convidar pra dançar você não vai?
 - Eu não danço.
 - E a valsa?
 - A valsa é tradição não há como fugir...
Ele riu, uma risada contagiante e ela foi obrigada a rir também.
 - Está vendo? Fiz você rir, já é um começo.
 - Ok então eu acho que posso dançar uma música com você.
 - Ótimo! - ele levantou pegou sua mão e a conduziu até a pista de dança e começaram a dançar.
A primeira música terminou e deu lugar a uma outra que Pietra adorava, e ela continuou dançando, ele era muito animado e simpático e ela gostou de ficar ali com ele, dançaram até a exaustão, por horas que ela depois nem conseguiu contar, passava das 5h da manhã quando ela sentiu que era hora de ir, os noivos já haviam partido fazia muito tempo e os convidados já estavam se dispersando. Ela saiu caminhando até a mesa onde pegou a bolsa e os sapatos que havia tirado por volta das 3h e ele a seguiu.
 - Já vai? - perguntou meio desapontado.
 - Claro já é tarde e a maioria foi embora.
 - Mora longe?
 - Um pouco mais vou chamar um táxi.
 - Imagine eu levo você em casa.
 - Não precisa, deve estar exausto.
 - Não, estou bem, vamos eu levo você.
Pietra aceitou a oferta ele não havia bebido uma gota de álcool e estava bastante desperto fora que o táxi demoraria muito e ela estava louca por sua cama.
 - Chegamos. - ela disse quando ele estacionou em frente ao seu portão.
 - Entregue então... Ops acho que esqueci seu nome.
Ele riu e ela também, haviam dançado a noite inteira e não sabiam os nomes um do outro.
 - Sou Pietra.
 - Sou Lucio.
 - Como o Malfoy de Harry Potter, até loiro você é! - e riu com gosto como há tempo não ria.
 - Como a senhorita é engraçadinha não? Quando eu tiver meus filhos nenhum deles se chamará Draco nem vai ser inimigo do Harry Potter ok? - e riu também aquela gargalhada contagiante que a fez aceitar dançar com ele na festa.
 - Está bem, parei só que sabe aqueles comentários bestas que vem a cabeça e não dá pra deixar passar? - ela disse tentando se explicar.
 - Sim, como o fato de que você é a garota mais bonita que eu vi naquela festa?
 - Obrigada. - disse ela sem jeito com o elogio inesperado.
 - Por nada. - ele disse com um sorriso, pegou a mão dela beijou e disse - Agora entre e durma com os anjos Pietra.
Ela saiu do carro meio chocada com o momento, ele acenou para ela e partiu e ela ficou feito uma tola no portão olhando para a mão que ele havia beijado boquiaberta. Depois de alguns minutos, entrou, tomou um banho e foi dormir.

Gostou? Aguarde a continuação....


0 Comentários: